quinta-feira, 29 de abril de 2010

"Jesus não é Deus e nordestino é pobre e palhaço": Suzana Vieira, atriz e sem-noção.


Pois é... estes impropérios foram ditos por Suzana Vieira, uma das "globais" mais conhecidas, que durante uma entrevista em Pernambuco cometeu várias gafes e abriu a caixa de ferramentas do besteirol dialético, próprio de pessoas que gostam de se manifestar sobre assuntos que não conhecem, não dominam e, pior, não poderiam opinar sem um "consultor" especialista ao lado.

Considerada polêmica, a atriz Suzana Vieira, da Rede Globo, causou um verdadeiro rebuliço durante uma entrevista coletiva em Pernambuco, com os atores que interpretavam o espetáculo A Paixão de Cristo, em Nova Jerusalém. Ela cometeu uma blasfêmia ao colocar em xeque a divindade de Jesus. Na opinião dela, Cristo não foi concebido por Deus, mas por José e Maria, e somente depois o Pai Celestial o escolheu para ser o representante Dele na terra:

“Para mim, ele [Jesus] foi concebido por José e Maria e só depois Deus o escolheu para representar seu filho na terra”. (Suzana Vieira, atriz)

Na primeira pergunta da noite, mais um “fora”. Uma criança presente na plateia pergunta: “E quem é Maria para você?”. Suzana retruca de pronto: “Meu filho, passei meia hora falando justamente isso”.

Com uma flor no cabelo, blusa de paetés e milhares de jóias, Suzana Vieira entrou no auditório Plínio Salgado, onde ocorreu a coletiva de imprensa com os atores da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, na noite da quinta-feira, 25 de março, causando rebuliço. Já na porta, a atriz dá mostras que não é exatamente uma pessoa paciente e simpática: “Não, meu bem, vou primeiro conversar com os jornalistas, depois, se você quiser, a gente tira uma foto”, falou para algumas de suas inúmeras fãs presentes.

Um ponto para ela, que respeitou os repórteres que estavam esperando pela coletiva. Na hora de sentar, porém, outro problema: a cadeira era muito baixa. “Ai gente, vou sentar nisso não. Arrumem alguma cadeira mais alta!”, reclamou. Questão resolvida, Suzana começa a entrevista falando de sua Maria, que seria diferente das feitas em anos anteriores. “Queria uma personagem inconformada. Gente, o filho dela está morrendo, não posso ficar só chorando. Nenhuma mãe ficaria”.

Segunda pergunta da noite: “Suzana, percebemos que você teve dificuldade com a sincronia entre suas falas e o texto pré-gravado…”, ensaia um jornalista da Rádio Palmares. Antes dele concluir o raciocínio, outra resposta desconcertante da atriz. “Você foi o único jornalista que veio aqui fazer uma pergunta irritante. Parece com os repórteres cariocas. Errei sim, porque não estou acostumada. Esse sistema só existe aqui, até na Brodway usa-se microfones”, disse áspera e irônica. (Quantos espetáculos esta senhora já fez na Brodway? Humm nenhum!)

Ela também revelou que seu filho, nora e neto mais velho, deveriam vir no sábado, direto dos EUA, para ver o espetáculo. “Descobri que aqui no Recife vocês têm voo direto para Miami. Pedi para os meninos virem me assistir, porém eles voltam na segunda-feira. Pois é, a gente é rico né? A gente pode!”, afirmou, arrancando gargalhadas da plateia.

E as pérolas da atriz não param por aí. Entre um e outro comentário, Suzana disse que acha incrível como algumas pessoas do Nordeste, região que considera atrasada e miserável, conseguem subir na vida. “Quando fiz Maria do Carmo, na novela Senhora do Destino, quis mostrar uma nordestina que não é pobre, nem palhaça. As pessoas têm essa ideia daqui e quis fazer diferente”.

Suzana explicou ainda a causa da vermelhidão do seu olho esquerdo. “Fui tirar uma foto e acabei, eu mesma, enfiando um graveto no meu olho. Mas, amanhã vou para Caruaru. Me disseram que tem uns três bons médicos lá e que eu poderia me consultar com eles sem receio”. Por fim, na hora das fotos, mais uma “graça”. Ao tentar enquadrar a atriz, o fotógrafo demorou um pouco para achar o foco da máquina. Suzana, então, se irritou: “Meu filho, se você trabalhasse comigo, já estaria demitido”.

4 comentários:

  1. Concordo com vocÊ amado amigo e irmão:
    TOTALMENTE SEM NOÇÃO.
    Suzana vieira é totalmente sem noção.

    E PAZ.

    ResponderExcluir
  2. A paz,

    Você, e todos os que leêm e seguem o seu blog estão sendo convidados a ouvir e participar com seus comentários
    do 2º PODCAST - Retendo o bem com o tema " O DIA D".
    Nos sentiremos honrados em poder contar com sua contribuição neste assunto que é de interesse de todo o povo evangélico.
    Aguardamos sua participação nos comentários.

    Equipe "O pastor"

    Segue o link (copie e cole no navegador):

    http://diariodoppastor.blogspot.com/2010/04/podcast-retendo-o-bem-o-dia-d.html

    ResponderExcluir
  3. camila rodrigues12 de maio de 2010 15:44

    oi professor,sou eu camila do colegio 7°ano
    Esse poema foi eu quem fiz!

    O PRESENTE
    O presente é uma surpresa para você e todos nós.
    O presente não importa o valor,mas é sempre dado com muito amor.

    Por isso é sempre precioso para quem dá e quem recebe.
    É a recordação que deixa marcas no coração.

    tem mas...


    O LIVRO
    O livro nos encina.
    O livro nos facina
    a compreender a verdade
    e enteder a realidade.

    O livro nos dá emoção
    e conhecimento
    no fundo do coração.

    Ele é como o sol que surge
    para nos dá luz e calor.

    Leia com muito amor.
    Você verá a magia da leitura
    e a certeza da ternura.

    O SONHO
    Eu sonho lindo,
    sonho bonito,
    sonho verde,
    sonho azul,
    sonho de beleza é com a natureza,

    Mas o meu sonho mas lindo foi o do amor,
    da paixão,
    da alegria,
    da compreenção
    e da felicidade na humanidade.

    Sonhar é legal,
    mas ver a realidade parece até um sonho,
    e sonho parece realidade.


    O MUNDO
    O mundo é confuso,forte e cruel.
    Tem alegria e tristeza,
    desencanto e beleza.
    Tem sorte,tem esperança
    magia e certeza
    Tem tudo,tem natureza.

    O mundo é bonito,
    mas como pode,se ele tem briga,
    violencia e morte?
    O que falta neste mundo
    é piedade e compreensão
    entre irmão.


    O POEMA
    O poema que tu me deste,
    NOSSO SENHOR,
    foi um poema de amor.
    E não um poema de rancor,
    tristeza e desamor.

    Este poema era lindo,
    falava da união,
    e que davemos sempre ser irmãos.
    Ele era cheio de esperança,
    felicidade,amor, e liberdade
    Mas os homens não souberam compreender
    e fizeram deste mundo uma calamidade

    ResponderExcluir